Resenha: A menina mais fria de Coldtown de Holly Black

Oi gentemmm, omo é que vocês estão?

Bom, com esse frio que ta fazendo aqui no sul, eu to mais ou menos, mas espero que vocês estejam bem ai...

Hoje vamos com o primeiro livro da Holly Black que acabo de ler. E nossa senhora, como eu ando devorando livros, #paiamado!

No mundo de Tana existem cidades rodeadas por muros são as Coldtowns. Nelas, monstros que vivem no isolamento e seres humanos ocupam o mesmo espaço, em um decadente e sangrento embate entre predadores e presas. Depois que você ultrapassa os portões de uma Coldtown, nunca mais consegue sair.Em uma manhã, depois de uma festa banal, Tana acorda rodeada por cadáveres. Os outros sobreviventes do massacre são o seu insuportavelmente doce ex-namorado que foi infectado e que, portanto, representa uma ameaça e um rapaz misterioso que carrega um segredo terrível. Atormentada e determinada, Tana entra em uma corrida contra o relógio para salvar o seu pequeno grupo com o único recurso que ela conhece: atravessando o coração perverso e luxuoso da própria Coldtown.A Menina Mais Fria de Coldtown, da aclamada Holly Black, é uma história única sobre fúria e vingança, culpa e horror, amor e ódio.



Ai gente, deixa só contar pra vocês como foi meu contato com esse livro pra que possam entender como eu me senti ao lê-lo. Bom, meu irmão tava arrumando as coisas dele e achou dois livros da Holly Black e me mostrou, no dia nem dei bola, mas andei meio assim com minhas leituras e resolvi que queria pegar algo diferente. A verdade é que quando olhei para a capa pensei que fosse um livro de gente morta (o que não deixa de ser né), daí não tava com a menor paciência pra ler sinopse e resenhas e como eu não fazia há muito tempo fui direto para a leitura. Foi bem intenso meu contato, porque levei algum tempo pra me tocar que era uma estória de vampiros.

Confesso que ando meio assim com livros de vampiros e acho que se tivesse lido sinopse e resenhas não teria pego pra ler este. O que foi legal, porque imaginem a minha cara, logo de início li umas paradas sobre alho e água benta, mas a inocente achou que tinha algo a ver com a decoração da tal festa que ela começa contando. Lá pelas tantas quando começou a ficar meio sanguinário e tinha gente morta pra todo lado (só pra avisar, tem bastante disso no livro), me liguei que a trama era de vampiros e pensei: "Tava bom demais pra ser verdade!" Continuei a ler e pra meu espanto li quase todo o livro em um dia.

A Tana, nossa protagonista é uma adolescente bem interessante. Ela não é nem de longe essas personagens boazinhas e sem graça, nem tampouco essas personagens muito fodonas que resolvem tudo e lutam e brigam no tapa. Não, ela é uma garota normal, que curte beijar na boca, ir a festas e fazer jogos idiotas que só perto dos trinta anos a gente percebe o quanto são idiotas. E ela fica mal e apavorada quando descobre que está metida numa verdadeira enrascada, por causa dos benditos vampiros.

Achei que a autora foi fantástica, não deixou de maneira nenhuma a estória ficar tediosa ou muito comum, teve de tudo, morte, gente babaca fazendo coisas babacas e gente boa arriscando a vida por amigos.  

E tem romance, claro.

O ex namorado da Tana foi mordido e está passando por uma coisa que chamam de RESFRIADO, uma infeção que pode levá-lo ou não a virar um sanguessuga. Acontece que são muitos e muitos dias, quase três meses para se livrar da coisa e voltar a ser normal, então a nossa mocinha, resolve ir para o que chamam de Coldtown, um tipo de cidade cercada, dentro das cidades, que separam os vampiros, os infectados e qualquer louco que resolver se juntar a esse bando. 

Ela jura que vai conseguir ajudar ele né... Ela faz o possível e as cenas são bem legais com eles, pois eles tem intimidade, mas não rola mais nada. Me parecem adolescentes mesmo, discutindo, lutando pela vida e tentando não virar vampiros.

Outro que os acompanha e que nos revela o temperamento de heroína da Tana, é o vampiro lindo chamado Gavriel. ele é meio insano e muitas vezes eu mesma pensei que ele ia matar meio mundo, mas ele também é tipo cebola, cheio de camadas, segredos e magoas.

Como não podia deixar de ser, a maior parte do tempo a nossa protagonista passa lutando para não sucumbir nesse meio onde só tem gente pirada, ou dando uns amassos no nosso 'vampirolindoelouco'.

Achei o final um pouco arrastado sabe, tirando isso o livro mais do que me fisgou, me conquistou e me apresentou uma autora muitoooooo talentosa.

Acho que vale muito a pena dar oportunidade a essa estória que nos leva a ver do que as pessoas são capazes pelos que amam e pela própria vida.



Classificação: Ótimo

Entrou para o holl dos Favoritos

É isso, espero que tenham gostado, quem sabe um dia desses faço uma vídeo resenha, o que acham?


Gostou?
Clique aqui e conheça mais:

5 comentários:

  1. Oi Graci, já estava interessada no livro mas nem imaginava que era de vampiros! Depois de ler a resenha com certeza vou ler. Acho super legal vídeo resenha, faz sim. Bjus.

    ResponderExcluir
  2. Parabéns pela resenha, me deu muita vontade de ler esse livro, acho que o tema de vampiros ainda tem muito a ser explorado rs, adoro o tema.

    ResponderExcluir
  3. A resenha é bem legal, mas eu não gosto de vampiros, rs prefiro os romances e os suspenses.

    ResponderExcluir
  4. Já tinha visto esse livro em um site de compras, agora estou pensando em coloca-lo na minha lista, adorei.
    Vou te seguir, Bjos.
    http://yuugracindo.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Deixe o seu comentário ele é muito importante pra mim...
Abraços!
Graci Rocha