Dicas para Escritores - Cenário

Oiii gente,
Então, depois de um jejum de quatro dias sem postar nada, por causa de um combo aqui em casa: PC, internet e Luz, e destaco a palavra luz, por que foi a causadora de todos os meus males (rsss). Vendo os e-mails hoje cedo, percebi a urgência de postar, legal o carinho de todos que acompanham o BLOG e pedem que eu não suma... Obrigada mesmo gente! 
A pedidos então, hoje vamos falar com os escritores e com os leitores que gostam de se informar, até mesmo para se tornarem mais críticos em suas leituras.
Bom, pensei um bocado no final de semana, até fiz algumas anotações, mas no fim resolvi falar de uma coisa diferente. Já que na última vez do Dicas para Escritores falamos de personagens, que tal falarmos hoje de cenários?
Quando falamos em cenário, o escritor muitas vezes remete diretamente ao espaço físico, alguns até mencionam que este termo está diretamente ligado a fantasia. Mas é um mero engano, pois quando tratamos de cenário, não estamos falando apenas do espaço físico ou do ambiente em que a trama decorre, nem só das fantasias épicas. Ao tratar do tema cenário estamos nos referindo a aura, ou seja, o clima que envolve a história.
Deixe-me ser mais especifica. Eu moro na região metropolitana de Florianópolis/SC, e aqui temos praias para todos os lados. Se eu fosse escolher a região como cenário, teria de pensar também num clima que envolveria a trama e a vida dos personagens, mas prestem atenção que não me refiro a clima da previsão do tempo. Estou tratando da aura do negócio. Por exemplo, se minha protagonista vivesse na ilha (E daí a importância da pesquisa), umas das coisas que eu teria de pensar é: Como é o ambiente? Como as pessoas agem? Como elas se sentem numa região como essa? Em que trabalham? Etc, etc, etc.
A partir do momento em que começamos a responder essas questões, começamos a montar um cenário envolvente, e com margem para elaborar boas tramas e conflitos... A exemplo da antiga série que eu disponibilizava no Palavrinhas (Meu antigo Blog), a série O último negócio. Bom, minha protagonista nascera na ilha de Florianópolis e era filha de pescador, cantava a noite em bares na conhecida Praia da Lagoa, e de dia dava duro como camareira num hotel. Até aqui, crie um cenário que envolve esse clima de turismo, de praia e calor, além de abrir margem para situações inusitadas. Só que eu queria uma coisa mais estilo policial, aventura, então coloquei uma briga por terrenos, para se tornarem empreendimentos imobiliários e um romance meio Romeu e Julieta, daí a minha protagonista sofredora acaba indo parar em outro cenário que é justamente no qual se inicia a história, em lugares luxuosos onde ela furta objetos de classe. Para isso eu pesquisei detalhes do ambiente, e claro usei minha imaginação para criar uma aura de suspense. A ideia é não ser estático, e sim dinâmico.
Vamos falar de história. Antigamente, quando os autores narravam seus cenários, naqueles grandes clássicos que ainda transitam por ai hoje em dia, mas que ninguém lê realmente, a não ser que ame clássicos ou seja obrigado... Bom, nesses romances antigos, o autor descrevia o cenário de forma estática, ou seja, antes de inserir personagens, conflito e desenrolar a trama, ele fazia toda uma descrição do cenário. Particularmente falando, e aqui vale a opinião de cada um, eu não gosto disso e acho que a massa leitora também não, pois no decorrer dos tempos, esse modelo se tornou obsoleto. As pessoas que leem querem sentir emoções e como você vai sentir alguma coisa, lendo paginas e mais paginas de cenário seco, sem nada mais?
Com o tempo, os leitores se aprimoraram claro e com isso os autores se transformaram, fazendo com que seus livros se tornassem parte fundamental da vida das pessoas.
Lembram quando eu disse que literatura é entretenimento? Então, é lazer, é transportar o leitor a uma vida diferente da sua, é fazê-lo sentir-se parte de uma trama envolvente em que ele farias coisas, em mundos, que ele jamais fará ou conhecerá realmente. Por isso o cenário dinâmico ganhou tamanha proporção.
Cenário dinâmico é aquele em que o leitor conhece o ambiente da história através da cena, do ponto de vista ou das emoções dos personagens, e ai entra a nossa aura, que tanto estou falando hoje.
Digamos que a minha protagonista lá do ultimo negócio resolva voltar a Florianópolis (só para constar, foi exatamente o que ela fez), o clima que ela vai encontrar, vai influenciar em como o leitor encara a história, se compra a ideia ou não.
A Carolina, que virou Helena, na história, quer uma revanche, então ela chega numa cidade com clima acolhedor, com cenas em que ela mesma se espanta pela beleza e alegria que pode sentir, mas a medida que a trama vai se afunilando, em prol do tema, a aura de beleza, festa, praia, turismo, vai se transformando em um suspense, uma trama por vingança, om cenas de enfrentamento, cenas de tramoias e principalmente cenas de paixão avassaladora.
Percebam, o que eu quero dizer é que o leitor vai sentir aquilo que você transmitir, se você quer criar um drama, precisa incluir um cenário e um clima que o leve a isso. Não, sinto muito, não existe uma formula secreta e milagrosa, mas algumas técnicas ajudam sim.
A primeira coisa que eu faço é pensar muito sobre a trama, tentar me colocar na pele dos protagonistas, se alguém é boa, não é completamente boa, se alguém é mau, não ficou assim por acaso e não é completamente mau. Depois de definir meu ambiente em que a história vai decorrer, começo a pensar em como são as pessoas no lugar, Solitud (que logo estará aí pra vocês), decorre boa parte em Nova York, então essa coisa de vida urbana tumultuada e frio devastador é uma constante nesses momentos.
Gente, o segredo é sentir...
XXOO

Fui

Graci Rocha

Confiram também nosso Sorteio que o prazo está se encerrando!


4 comentários:

  1. Adorei as dicas!!!! Muito boas mesmo!!!

    ResponderExcluir
  2. Excelentes dicas.
    Uma história sem um belo cenário se perde.

    M&N | Desbrava(dores) de livros - Participe do nosso top comentarista de junho

    ResponderExcluir
  3. Muito legais as dicas sobre o cenário! É a primeira vez que leio sobre isso. O cenário deve ser descrito na medida certa, às vezes os escritores exageram na descrição do cenário.

    Adorei o blog!
    Estou seguindo.

    Ficarei feliz com uma visita sua ao meu blog.
    www.meuslivrosesonhos.blogspot.com.br

    Um abraço!

    ResponderExcluir
  4. boa sacada, realmente o cenario tem que ser convidativo

    ResponderExcluir

Deixe o seu comentário ele é muito importante pra mim...
Abraços!
Graci Rocha